sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

DIAMANTE

as árvores se comunicam pelo teto
os homens pelo alfabeto
quando me calo estou morto
quando falo provoco abortos
a alma da árvore é sua folha
na qual escrevo sem escolha
o diamante do silêncio a sua agonia
lapido a página até surgir poesia

Um comentário:

Julia disse...

e eis o teu diamante...

NATIMORTO

  todo poeta nasce morto isso explica sua briga inútil com a vida ataca palavras e delas se defende se transforma em estátua qua...