quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

EXISTÊNCIA

perdura no pescoço
o osso da existência
magro cor de cadeira
o mundo sentado
objeto obsoleto
esqueleto incompleto
não suporta a essência
do fim

Nenhum comentário: