sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

PARADA PARALELA

minhas dores
são as minhas dores
estaciono paralelo à poesia
mas não tenho acesso
tenho um acesso
de flores e espasmos
poesia não remedia
nem tem simpatia
minha dor parece outras
parece pouca
dor maior é não alcançar a poesia

Nenhum comentário: