sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

PRATO PRINCIPAL

o amor repousado na mesa 

aberto dividido em pedaços 

aquela massa colorida 

disforme mal revolvida

agarra-se sem laço 

e ninguém tem certeza quem segura 

e quem está sendo segurado 

e qual parte do amor coube 

a cada um na partilha 

e a porção descobre a boca que a mastiga

 mastiga e torna-se saliva e língua 

e o que se engole e fala

 fica no ar à mingua

Nenhum comentário:

AQUELES DIAS DE DESESPERO

  tem dias que bate um desespero uma vontade de arrancar os cabelos até os pentelhos vontade de correr nua pelas ruas ampliar o co...