segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

SOMBREADO

o cheiro do sol
sobre a sombra
exala escuro
o horizonte da luz
não tem sentido
o que eu sinto
esbarra no muro
divide o meu corpo
em compêndios

Nenhum comentário: