quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

INFLAMADO

pouco recebi quando catei palavras
revirei os sacos de nuvens
e plásticos que curaram os abismos
nem por isso deixei de ser pleno
as serpentes aprenderam o idioma
quando cantaram o sol em suas bíblias
pouco percebi quando cortei palavras
sequei a água do mundo
e as montanhas chegaram atrasadas
nem por isso me deixei sempre
acompanho o meu corpo em chamas
antes que a poesia cicatrize

Nenhum comentário: