sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

QUANDO O CÉU ERA PERTO

quando o céu era perto
eu caminhei em seu deserto
não imaginava água
que me envolvesse
não imaginava sol
que me aquecesse
quando o céu era perto
eu era mais vivo por certo
havia o meu corpo decerto
que alguém bebesse
que alguém esquecesse

Nenhum comentário:

NATIMORTO

  todo poeta nasce morto isso explica sua briga inútil com a vida ataca palavras e delas se defende se transforma em estátua qua...